Quarenta e nove

Faz tempo que não me sento para escrever de madrugada em meio a um surto por aqui; sinal de que os remédios estão fazendo efeito, ou estavam. Não sei ao certo sobre o que escrever. Mentira. Sei. A verdade é que não sei se quero, como começar, como fazer.

Criei um isnta pra nono, acabei criando um para o blog, acabei sendo descoberta por uma prima, minha família não sabe que escrevo, não sabe que sou bi, não sabe que tenho um parafuso a menos; essa última fingem não ver. E então essa prima descobriu meu refuljo lugar seguro. Ter a terra firme tirada dos pés deve ser assim.

Fui criada em uma cidade pequena onde todos sabem da vida do outro, segredos são moedas de troca, você acha que ninguém sabe, mas é só virar as costas o falatório se instaura. Nunca tive nada meu, todos sabiam absolutamente tudo. Me fechei. Me tornei paranoica. Até me sufoquei.

A escrita foi sempre para onde recorri. E compartilhar esse pedaço meu, minhas palavras, é difícil. Deixar ir essa coisa única minha, torná-la solta livre.

Mas precisava. Estava morrendo asfixiada.

Veio o ideias desvaneiada, uma extensão sem sentido da minha mente. Uma forma de me deixar ser vista, me ver, viver, poder respirar. E ainda que com gente lendo isso, esse canto é meu, exerço certo controle. E quando algo seguro amado lhe é tirado, dói, o peso da perda dói.

Pensei, por um instante em desistir de tudo; minha mente rasteira querendo sempre me dar. Porém, me cansei de me esconder, e ainda que essa exposição doa, o preço por brotar minhas palavras posso pagar.

Prevejo muitos surtos paranoicos vindo. Então amanda, se lembre, esse texto é um grito de resistência. Ser posta na luz e se deixar ver, é tão bom quanto ruim.

2 comentários em “Quarenta e nove

  1. Amanda, eu já fui descoberto uma vez, não por uma prima fofoqueira, alguém de quem eu gostava. Mas a pressão deve ser a mesma. Olha, querer apertar o botão de autodestruição é o sentimento normal; gostei que seu primeiro impulso foi negá-lo.
    Agora, aqui, é nos seus termos! Eles não controlarão sua escrita, pelo contrário. Que seja sua chance de assentar-se no espaço que você criou.

    Beijo!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s